Procurações

As procurações que exijam intervenção notarial devem ser feitas por instrumento público (feito num consulado ou cartório notarial).

Cartório Notarial Australiano

As procurações podem ser elaboradas junto de um cartório notarial australiano; posteriormente autenticadas por apostilha no DFAT (Link) e traduzidas para a língua portuguesa (link).

 

Consulado

NOTA: Procurações só são feitas mediante marcação.

 

Para sua comodidade e não ter que estar em filas de espera, poderá enviar por e-mail (Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.) o texto da Procuração, documentos necessários e comprovativo do pagamento.

Documentos  necessários:

  • Bilhete de Identidade ou Cartão de Cidadão válido e NIF (cartão de contribuinte) do(s) mandante(s);
  • Minuta da procuração (Rascunho do documento legal em formato Microsoft Word a enviar por email);
  • Dados do(s) mandante(s) – quem dá poderes – nome completo, estado civil, morada, naturalidade, n.º de   Bilhete de Identidade/Cartão de Cidadão válido e NIF + regime de bens do casamento;
  • Dados do procurador (a) – a quem se dá poderes -  nome completo, estado civil, morada, naturalidade, n.º de   Bilhete de Identidade/Cartão de Cidadão válido e NIF;
  • Dados do Intérprete (link tradutores) se for o caso**

Pagamento:

Pagamento no valor AUD 74.40* deve ser feito por um dos seguintes meios:

  • ‘Money Order’ a favor de “Consulate General of Portugal in Sydney”
  • Dinheiro (AUD)
  • Transferência bancária (para saber as coordenadas bancárias envie um email para: (Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.)

Marcação:

A leitura/assinatura de uma procuração apenas é agendada após receção do comprovativo da transferência bancária.

 

Nota: Será necessário um intérprete para os não falantes da Língua Portuguesa (veja a lista de tradutores/interpretes)

 

* valor sujeito a alteração cambial

** Não falantes da Língua Portuguesa

  • No caso de um dos mandantes não falar Português deverá vir acompanhado de intérprete ao Consulado no dia da leitura.
  • Se nenhum dos mandantes falar português, a procuração deve ser elaborada junto de um cartório notarial australiano; posteriormente autenticada por Apostilha no DFAT (Link) e traduzida para a língua portuguesa (link).